Notícias

terça-feira, 20 de julho de 2010

isto vindo de um dos países mais ricos do mundo... hah!!!

from: here


"Switzerland has been ranked near the bottom of a survey in terms of both generosity and gender equality of parental leave.

The study, by the United States-based Center for Economic and Policy Research, found that Swiss neighbour Germany and the Nordic countries topped the list.

The research looked into 21 high-income nations and showed that Sweden ranked highest for gender equality of parental leave – meaning fathers were included too - while Germany and Sweden were the most generous in time, both offering 47 weeks.

They were followed by Norway offering 44 paid weeks, Greece with 34 weeks, Finland with 32 weeks and Canada with 29 weeks.

Switzerland, which only offers 14 weeks paid at 80 per cent of usual wages, came second from the bottom in the ranking for generosity, with the US and Australia tied for the lowest spot.

The Swiss also came 21st when it came to gender equality. The country offers no statutory paid paternity leave, leaving it up to the discretion of the employer. Most companies offer between one and three days. Some allow up to two weeks.

Women only gained statutory maternity leave in 2005."

É o que dá ser um país em que ainda a maioria das mulheres deixa de trabalhar assim que é mãe e muitas vezes pq não têm outra opção. As creches públicas do estado só aceitam crianças a partir dos 4 anos. Dependendo do cantão de residência, podem haver ou não cresches públicas para crianças a partir dos X meses, mas ainda para essas há filas de espera enormes. Quanto a cresches privadas, essas levam mais de 1000 chf/mês por criança o que é um valor proibitivo para muitos.


Sempre me meteu impressão o constante bloqueio que há neste país contra mulheres que queiram ser mães e continuar a trabalhar. A decisão deve ser sim tomada por cada uma de nós e não forçada pelas circunstâncias.

6 comentários:

Sonhos Milka disse...

Sem dúvida... e quando dão um espirro ou têm um bocadito de febre mandam-nos logo para casa e o pai/mãe lá tem que vir para casa. Bahhhh!

Guida disse...

Em matéria de maternidade/paternidade a Suíça encontra-se um bocado "atrás". Uma coisa é fomentar que um dos pais fique mais tempo com a criança em casa, outra coisa é praticamente obrigar! Neste momento estou à procura de trabalho e também procuro uma creche para o meu filho e na região de ZH cobram cerca de 2100 chf por mês! As creches públicas têm listas de espera de vários meses...
É complicado ser mãe e querer trabalhar fora de casa !

Rafaella disse...

Primeiramente, queria felicita-la pelo seu blog! Fornece óptimas informações sobre o belíssimo país que é a Suiça.
Queria deixar mais uma sugestão:
Estou a pensar fazer ERASMUS, para a Université de Lausanne. E por isso gostaria de saber como é o ensino universitário na Suiça? A nível de alojamentos? Será melhor ficar numa residência para estudantes? Pelo que percebi, os custos de vida são bastante elevados, comparativamente a Portugal. É facil arranjar um part-time?

Sei que vive na parte alemã,relativamente à francofona, considera existir grandes diferenças?

Agradeço, antecipadamente.
Continuação de bons posts.

Cumprimentos

Bypassone disse...

No que respeita à posição da mulher/mãe na sociedade suíça, acho que não há partes inocentes: o estado vive ainda na época pré-revolução industrial, onde o homem sai de casa pra trabalhar e a mulher toma conta dos filhos. Mas (e há que dizê-lo) a mulher também aproveita toda essa comodidade proporcionada pelo estado. Não tem dinheiro pra mandar a criança prá creche? Alguma das 189367527 entidades estatais lho arranjará. Se não for por aí, tem as 1362145267 fundações privadas existentes na suíça. Para além do abono de família, pago ao progenitor que está empregado por conta de outrem, a parte do casal que fica em casa a cuidar da criança tem ainda direito a outro tipo de subsídios, apenas por... ficar em casa. O problema do sistema é que, a partir do momento em que a mulher/mãe começa a trabalhar... "acaba-se a mama", que é como quem diz, as ajudas. E estar a vergar a mola pra dar metade à creche e mais 1/4 pra transportes, comida fora de casa e todas as outras despesas inerentes a quem exerce uma actividade profissional......
Naaaaa, melhor deixem-me ficar aqui no cantinho com os meus filotes.
E é isto... basicamente!

P.S. Cada vez noto mais a diferença -principalmente quando vou a Portugal- entre a verdadeira mulher emancipada (a portuguesa) e a... acomodada (a daqui), que é muito "emancipada" e moderna porque "se quiser, pode fazer o mesmo que um homem", mas não o faz porque... bem, basicamente porque tem esse direito e possibilidade.

Francisco Santos disse...

Bom dia. Na divulgação do meu blog vou descobrindo pelo caminho outros igualmente interessantes.Parabéns. Convido a ver a minha galeria e se poder divulgar pelos amigos agradeço.

Cumprimentos

Francisco

Francisco Santos disse...

Bom dia. Na divulgação do meu blog vou descobrindo pelo caminho outros igualmente interessantes.Parabéns. Convido a ver a minha galeria e se poder divulgar pelos amigos agradeço.

Cumprimentos

Francisco